Cães idosos: 5 dicas de cuidados especiais para ter com seu bichinho

Os cães idosos precisam receber maior cuidado e atenção. Isso porque, a mobilidade e a saúde deles já não é a mesma de antes, por isso, alguns cuidados são essenciais. 

Por mais difícil que seja para nós, os nossos cãezinhos também envelhecem, com o passar dos anos. E assim como nós, eles sentem as mudanças causadas pelo passar do tempo. 

O importante, é se preparar para ajudar o seu amigo a passar por essas mudanças da melhor forma possível. Afinal, sempre queremos dar o melhor para nossos bichinhos, não é mesmo?

Como saber se o seu cão já é idoso: 

Observar o comportamento do seu cachorro é muito importante, pois algumas mudanças podem acontecer antes do período esperado. 

O sinal mais fácil para identificar um cão idoso são os pelos grisalhos, ou seja, os pelinhos tendem a ficar mais brancos na região do focinho e dos olhos. 

Além disso, existem alguns fatores que também indicam que um cão está na idade senil, como:

  • dificuldade na locomoção; 
  • cansaço excessivo e sonolência;
  • maior sensibilidade climática;
  • deficiência auditiva e visual; 
  • dificuldade na mastigação.

É importante reforçar, que os cães idosos não devem ser considerados como animais doentes, devemos apenas redobrar a atenção e o cuidado com eles. Algumas raças de cachorros podem ser considerados idosos a partir dos 8 anos, mas os cuidados devem ser ainda maiores aos 12 anos.

Agora que você já consegue identificar um cão idoso, confira 5 cuidados essenciais para ter com cãezinhos senis. 

  • Cuidado com a alimentação 

Com o passar do tempo, o ritmo da digestão do animal muda, ficando mais lento. Por isso, a proporção da alimentação deve ser regulada para que seja de fácil digestão e para evitar a obesidade. Além disso, deve ser mais saudável e rica em proteínas. 

Para os cães que estiverem sem alguns dentinhos ou com problemas dentários, o ideal, é optar por alimentos mais pastosos. Uma boa opção é colocar um pouco de água quente na ração do seu bichinho, amolecer e dar para ele.

  • Mobilidade

É muito comum que ao longo do tempo a mobilidade do seu cachorro mude e ele não consiga se locomover como antes. Alguns problemas como artrite, artrose, problemas nas juntas, na coluna e até mesmo problemas com o peso deixem a mobilidade do seu cão debilitada. 

Por isso, recomendamos que você procure deixar a ração, a água e a caminha próximos, além de facilitar o acesso ao lugar onde seu cão faz suas necessidades. 

  • Atividades

Devido a questão da mobilidade, a rotina de atividades dos cãezinhos idosos também muda. 

Lembramos, que se o seu cachorro ainda estiver com boas condições, os passeios podem continuar. No entanto, com os cuidados redobrados, ou seja, diminua a intensidade, a quantidade e a duração das atividades, para que ele consiga acompanhar sem dificuldades.

A rotina de atividades é muito importante, assim como é para nós. Por isso, tente sempre mantê-la, respeitando o ritmo do seu amiguinho!

  • Mudanças de temperatura 

Os cães idosos tendem a ter mais sensibilidade às mudanças climáticas. 

Por isso, quando estiver quente, mantenha a caminha e os pertences do seu bichinho em um lugar arejado. 

Já quando a temperatura abaixar, mantenha-o em locais mais quentes, coloque roupinha e cobertores na caminha para que ele não sinta frio. 

  • Veterinário

Por último e mais importante, aumente a frequência de visitas ao médico veterinário. Dessa forma, você pode realizar exames periodicamente, acompanhar o estado de saúde do seu bichinho e evitar complicações. 

O ideal é que as consultas passem a ser feitas de 6 em 6 meses, ou de acordo com a orientação médica.